Postagens Mais Acessadas

3.7.09

Amamentação. É tão bom!




Preparando as Mamas para Amamentar

A preparação das mamas deve acontecer ainda durante a gestação. É nessa fase que as mamães de primeira viagem devem começar a aprender tudo o que envolve o aleitamento. Existem algumas técnicas que podem ser usadas para fortalecer o bico do peito e estimular as glândulas mamárias.


Tudo para evitar probleminhas na hora da amamentação. A regra número um é lavar o bico do peito apenas com água. Não utilize sabonete. Eles já têm uma hidratação natural ideal que deve ser preservada.


O banho de sol é um dos melhores procedimentos para preparar os seios. Tome de 10 a 15 minutos de sol no seio todos os dias, antes das 10 da manhã ou depois das 3 da tarde. Dependendo do seu tipo de pele e da intensidade do sol, você pode aumentar ou diminuir um pouco esse tempo.


Se não tiver como tomar sol, você poderá utilizar uma lâmpada comum com a mesma finalidade. O calor do sol e da lâmpada deixa a pele mais resistente. As massagens também são simples de serem feitas.


Segure a mama com as duas mãos, uma de cada lado, e faça uma pressão da base até o bico, como se fosse uma ordenha. Repita o movimento cinco vezes com delicadeza, mas com energia. Depois, faça o mesmo com uma mão em cima e uma embaixo da mama. Esse procedimento ajuda na “descida” do leite e pode ser repetido uma ou duas vezes por dia.


As mulheres com o bico do seio invertido devem fazer uma massagem específica para estimular a saída do bico para fora.


Muitas vezes, durante a gestação ele sai naturalmente, caso isso não ocorra, a gestante deve fazer a seguinte massagem: segure a extremidade do bico com o polegar e o indicador e rode os dedos, como se estivesse aumentando o volume do rádio.



Técnicas para Amamentação
A posição tradicional é a sentada, onde o bebê fica de frente pra mãe, barriga com barriga, e quanto mais colados estiverem, mais fácil é a amamentação.


Na posição sentada inversa, a mãe deve segurar o bebê como se fosse uma bola de futebol americano, colocando o corpinho debaixo de sua axila, com a barriga apoiada nas suas costelas.


A mãe apoia o corpo do bebê com o braço e a cabeça com a mão. Essa posição facilita o bebê a pegar uma boa parte da auréola.


Algumas mães, optam por amamentar os filhos deitadas, onde o bebê fica de frente para a mãe, barriga com barriga.


Depois de achar a melhor posição, o primeiro passo é colocar o seio na boca do bebê. Ao tocar o mamilo no lábio inferior do bebê ele abrirá a boca. Nessa hora a mãe deve encaixar o máximo da auréola na sua boquinha, puxando firmemente sua cabeça para a mama.


O bebê tem que estar posicionado corretamente, com o corpo junto ao da mãe, na altura da mama, os quadris seguros e o pescoço levemente esticado.


Para ter uma boa pega, a boca do bebê deve ser levada em direção ao mamilo, e não o contrário. A mãe deve posicionar o polegar acima da auréola e o indicador abaixo, formando um ‘C’.


Ao mamar, a boca do bebê deve estar bem aberta, com os lábios para fora, abocanhando quase toda a auréola e não somente o bico do peito, e as mamadas serão grandes e espaçadas.


Quando for tirar a criança do peito, é bom usar a técnica conhecida popularmente como "técnica do dedo mínimo", onde a mãe coloca o dedo mínimo na boca da criança para enganá-la.


Ela aceita trocar o bico do peito pelo dedinho e, assim, não puxa o mamilo da mãe com força. Quando o bebê largar a mama, os mamilos devem estar levemente alongados e redondos.
Lembrar:
Medo de não ter leite, de sentir dor, de ter fissuras no seio... A amamentação é um momento de cumplicidade entre mãe e filho, mas não são poucas as inseguranças que as mulheres sentem, principalmente no início da prática. Os temores são naturais, mas, nem por isso, irão se concretizar.
"Não ter leite ou ter leite ‘fraco são medos infundados. Toda mulher é capaz de amamentar e todo leite é de qualidade. Já a dor e as fissuras são intercorrências não obrigatórias. Na mulher que é bem orientada, estes problemas não ocorrem", explica o pediatra Marcus Renato de Carvalho, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro e membro do International Board Certified Lactation Consultants (IBCLC).
As mamas são preparadas naturalmente durante a gestação e o que faz produzir leite é o bebê sugar as mamas - quanto mais suga, mais leite.
Apesar de 96,4% das mães brasileiras afirmarem que as crianças foram amamentadas pelo menos uma vez, a exclusividade desse alimento em bebês com até seis meses de vida alcança 40% das crianças, de acordo com dados do Ministério da Saúde. O aleitamento deve ocorrer na primeira hora após o nascimento. O primeiro leite é o colostro, rico em anticorpos. Estatísticas apontam que cerca de sete mil mortes de bebês até o primeiro ano de vida no Brasil poderiam ser evitadas com a amamentação na primeira hora após o parto.
Uma das principais dificuldades na amamentação é quando o bebê não suga ou tem a sucção fraca. Para resolver à questão a mãe deve estimular a mama regularmente, no mínimo cinco vezes ao dia, por meio de ordenha manual ou por bomba de sucção. Isso garantirá a produção do leite. "As mamas são preparadas naturalmente durante a gestação e o que faz produzir leite é o bebê sugar as mamas - quanto mais suga, mais leite".
Muitas vezes os bebês resistem à amamentação devido ao uso de bicos artificiais ou chupetas. De acordo com cartilha distribuída pelo Ministério da Saúde, a solução para esses casos é manter a calma, suspender o uso de bicos e chupetas e insistir nas mamadas por alguns minutos cada vez.
Sentir dor nos mamilos ou ter os órgãos feridos também é comum no início da amamentação, devido à forte sucção deles e da aréola. A dor é considerada normal e, em geral, não passa da primeira semana.
A causa mais comum são lesões nos mamilos por posicionamento e ‘pega’ inadequada. "O mais importante é a ‘pega correta. O bebê deve abocanhar não só o mamilo, mas toda a aréola. No início, para que isso aconteça, é importante a criança ser posicionada no colo ‘barriga com barriga", explica o pediatra.
Para evitar a dor, é importante manter os mamilos sempre secos e iniciar a amamentação pelo lado menos lesado
Para evitar a dor, é importante manter os mamilos sempre secos e iniciar a amamentação pelo lado menos lesado. O uso de cremes com vitamina A e D ocasionalmente pode ajudar, assim como usar creme com corticóide após as mamadas em casos de fissuras graves.
Se o tratamento não surtir efeito, a recomendação é suspender a amamentação no seio mais comprometido por 24 a 48 horas, e esvaziar (manual ou com bomba de sucção) a mama comprometida, após cada mamada no outro seio. Depois desse período, o indicado é fazer o mesmo com a outra mama.
"Preparar o peito passando bucha e tomando sol, assim como ter que tomar muita água são algumas lendas relativas à amamentação. Todas estas são crendices que não ajudam em nada", diz Marcus Renato.


Dúvidas enderece a este blog ou pelo e-mail

Nenhum comentário:

Postar um comentário