Postagens Mais Acessadas

30.6.11

As lágrimas falam mais que mil palavras





As lágrimas falam mais que mil palavras
Chorar faz parte da vida. Mas muitos pais têm dificuldade em lidar com o choro dos seus filhos.
Seja quando os bebês comunicam ou quando os maiores fazem birra, é preciso tentar encará-lo com calma. Afinal, ninguém cresce sem lágrimas. O difícil é escolher o caminho correcto quando o assunto é lidar com as lágrimas de uma criança. Algumas pesquisas mostram que a resposta dos pais ao choro dos bebés nos três primeiros meses é crucial para o desenvolvimento emocional e neurológico. A resposta rápida ao bebé não vai fazê-lo ficar mimado nem impaciente. O que deixa uma criança mimada e birrenta é a ansiedade dos pais ou detalhes importantes como a falta de firmeza ao pegá-la no colo. Se a embalarem com segurança, e corresponderem à sua necessidade de forma tranquila, ela sentir-se-á amparada e poderá chorar menos.

A função das lágrimas

É preciso lembrar que o choro é fundamental para a vida e que as lágrimas têm mais funções do que podemos imaginar. Quando elas escorrem pela face é porque há um excesso na quantidade produzida. Esse lacrimejamento abundante pode ser causado por vários motivos: seja por uma razão física (como a dor), seja por razões emocionais (tristeza, medo). Os bebês até aos 2 meses, mais ou menos, choram sem lágrimas. Isto porque eles ainda não precisam humidificar os olhos. Na sala de parto, por exemplo, o choro é seco e tem função fisiológica. No útero da mãe, o feto é oxigenado pela placenta. Ao nascer, o choro serve para abrir os seus pulmões e permitir a passagem do ar. É graças ao choro que o bebé consegue comunicar nos primeiros tempos de vida. É também por meio das lágrimas que, já maiores, desabafamos e expressamos os nossos sentimentos, mesmo em situações de alegria.

Causas do choro nos bebês

- fome

- cólicas

- calor ou frio

- sono - fralda suja

- tédio ou necessidade de contacto

- dor

- desconforto

- excesso de estímulo

- susto ou medo

O meu filho chora demais!

A maioria dos especialistas entendem como chorona uma criança que passa mais de três horas por dia aos prantos, mas não existe um consenso. Se a criança estiver com todas as necessidades atendidas e continuar a chorar é bom consultar um pediatra.

Quando o choro se transforma em birra

A partir dos 9 meses, a criança percebe que, ao chorar, consegue algumas coisas. Pode assim passar a usar o choro para conseguir outras coisas que deseja, tentando manipular os pais. Se os pais acham que aquilo que a criança pede é desnecessário, não devem dar só porque ela chorou. Se ela chorar e os pais cederem, vão confirmar que ela consegue o que quer pela birra. As lágrimas deixam de ser inocentes… Depois do primeiro aniversário, a tendência é que a criança troque as lágrimas por palavras. Ainda assim, o choro é frequente e as causas, variadas. Chorar faz parte do crescimento emocional. As causas da maioria dos choros deixam de ser fisiológicas e passam a ser psicológicas. Apesar de estar a aprender a falar, a criança só consegue expressar os seus sentimentos com lágrimas. Isso ocorre porque ela ainda não tem maturidade emocional e o seu aparelho cognitivo ainda não está suficientemente desenvolvido para permitir uma expressão verbal das emoções. Portanto, a criança lida com a raiva, as angústias e as frustrações, chorando. Com o tempo, ganhará maior autonomia e entenderá melhor os limites que os pais lhe colocam.

As três regras-chave

1. Incentive a criança a falar dos sentimentos. Verbalizando as suas próprias experiências e pergunte-lhe como se sentiu perante momentos diversos.

2. Não desvalorize o choro da criança. É importante que ela saiba que você entende os motivos, ainda que não concorde.

3. Estimule os comportamentos que gosta, ignorando os que não aprova.

5 comentários:

  1. Minha filha agora está com 1 ano e 6 meses, e da semana passada pra cá mudou por completo o seu comportamento, passou a chorar todas as noite e não querer ficar mais no berço desde o dia em que conseguiu pular dele. Antes ela mesma pedia pra dormir, e só queria seu berço.
    Não sabemos mais o que fazer e estamos exautos, pq ela quer dormir na nossa cama, coisa que até então não havia acontecido desde que nasceu.
    Vc tem alguma dica? É normal essa mudança?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriana, tenha calma que tudo dará certo. Sua filha percebeu que agora ela tem mais autonomia para ir e vir e ela não é boba. quer ficar pertinho dos pais e dividir o amor gostoso de voces. Penso que a saída seria vcs fazerem um ritual de sono (rotina) e colocá-la no berço. Toda vez que ela sair vcs a recolocam de novo. Isso pode durar algumas vezes até ela cansar ou algumas noites. Lembre-se, vale a pena ensinar sua filha a dormir, mar com carinho e paciência. Não a deixe chorar sozinha. Apenas não ceda aos seus caprichos. Se não der certo consulte uma especialista em sua região para lhe orientar o processo. Um abraço - Dra. Regiane

      Excluir
  2. meu bebe tem 9 meses e chora toda noite por causa do peito quer mamar sempre que acorda já não sei mais o que fazer isso e normal




    ResponderExcluir
  3. O site e maravilhoso! Parabens. Sou enfermeira e estudante da unifesp.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kátia, obrigada e passe sempre por aqui ou pela nossa fanpage facebook/terapeutabebes. Um abraço!!

      Excluir