Postagens Mais Acessadas

22.4.12

Resposta ao Leitor


Colecionei nos últimos dois meses, algumas perguntas que foram as mais frequentes em minha Coluna do Jornal Atibaia Hoje, e, irei respondê-las a seguir. Espero que o leitor se identifique com algumas delas.

Leitor: Não é incomum meu filho, de cerca de 4 anos, me empurrar ou me bater enquanto estou tentando conversar com as visitas em casa. Fico constrangida e percebo que as visitas dão um sorriso amarelo e no final todos caem na risada. O que devo fazer numa situação como esta?
Jornal Atibaia Hoje: Eu sei que não é fácil repreender o filho na presença de um auditório, principalmente quando as pessoas acham graça na demonstração de raiva das crianças. Entretanto, as crianças vão crescer e se não forem chamada a atenção, por seu comportamento inadequado desde cedo, as demonstrações de raiva, no futuro, serão de fúria. Esteja segura em seu papel e de sua responsabilidade como mãe, e, da próxima vez que isso acontecer, chame a atenção de seu filho longe de todos, dizendo seriamente a ele, que você desaprovou o que ele fez. Lembre-se que a energia que seu filho emprega em um ataque de raiva tende a aumentar conforme ele cresce. Imagine então o que ele fará quando tiver na adolescência.

Leitor: Ando muito confuso, pois meus amigos dizem que devo ser amigo de meu filho e não devo pegar no pé dele o tempo todo. Do contrário serei um chato. Isto está correto?
Jornal Atibaia Hoje: Em primeiro lugar você deve lembrar que você pertence a uma escala hierárquica em sua família e, portanto, você e sua esposa são os responsáveis pelo lar e as normas são regidas pelo casal. Antes de tudo você é pai e depois amigo que quer o bem estar de seu filho. Você não precisa ficar chamando a atenção de seu filho o tempo todo, mesmo porque isso é chato e ninguém aguenta. Não faz mal algum fingir que não percebeu certas situações ou ignorar pequenos deslizes (pequenos mesmo!). O que não pode é deixar passar delitos mais graves, situações desgastantes, mais serias e que levem ao prejuízo de outrem.

Leitor: Como chamar a atenção de um filho adolescente que desde cedo não segue normas, rotinas e tem dificuldade em aceitar limites?
Jornal Atibaia Hoje: Posso lhe dizer que você tem um problemão, se não um “grande pepino para descascar”. Dependendo das reações de seu filho, lastimo lhe dizer, que reverter uma situação como essa é bem difícil. O primeiro passo é o diálogo. Se não surtir efeito parta para o plano B, proibindo-o de utilizar o computador ou outro equipamento eletrônico que ele curta muito. Caso este plano não mostre resultado eu lhe aconselho a procurar ajuda de um profissional o mais breve possível. Na adolescência o não cumprimento de regras é chamado por alguns especialistas de conduta antisocial. Na idade adulta de transtorno de personalidade antisocial com consequências legais. O que você vai preferir: descascar o pepino agora ou sofrer com cortes profundos amanhã?

Leitor: O que devo esperar ou exigir de uma babá ou cuidadora?
Jornal Atibaia Hoje: Primeiro de tudo que a indicação seja de fonte confiável (empresa, amigos, parentes e etc.). Segundo que ela obedeça suas ordens e suas recomendações. Terceiro, uma babá não tem por responsabilidade efetuar as lições de casa com as crianças – o papel dela é ser uma boa cuidadora na ausência dos pais – brincar com as crianças, levá-las ao parquinho sempre com a anuência dos pais ou outras atividades lúdicas e de higiene. É importante que ela mantenha em lugar visível os telefones de emergência para localizar os pais ou familiares próximos.


www.atibaiahoje.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário