Postagens Mais Acessadas

13.11.12

Criança com dificuldade para dormir: costume ou problema


Vícios de comportamento na hora do sono são as causas mais comuns para o despertar da criança durante o sono ou mesmo nem querer iniciá-lo. Embora, outros motivos possam interferir no repouso, tais como: ansiedade de separação, sonhos, barulhos estranhos, mudança de rotina, ida para a escolinha, doenças, dificuldade em respirar pelo nariz e outras.
Uma causa muito importante para a interrupção do sono infantil noturno é a inconsistência no horário do sono diurno – a famosa soneca. Cada dia o pequeno repousa em um horário, ou mesmo, a soneca não é estimulada devido a agenda cheia das crianças.
Será que existem formas para resolver o “X” da questão?

Os bons hábitos de sono devem ser instituídos desde a chegada da maternidade. Parece cedo, mas acredite, precisamos ensinar as crianças a dormir desde pequeninos.
A aplicação da rotina é interessante, pois evita o improviso e a bagunça de dias mal dormidos. Os bebês adoram “saber”o que vem a seguir – sempre banhados de amor, carinho e alguma flexibilidade (mamar, trocar fralda, banho, brincadeiras, sono, etc.). A melhor coisa é a criança adormecer sozinha e sem acessórios (balanceio, andar de carro, sacolejar).
                Caso você esteja experimentando um sono intranquilo com seu filho de mais de seis meses de idade, tente estas dicas

1* Caso ele não adormeça sozinho, permaneça no quarto sem muita interação corporal. Deixe que sua presença o acalme e evite conversar. Saia do quarto e repita o processo sempre que necessário. Os intervalos podem ser aumentados (minutinhos) até que a criança adormeça. NUNCA deixe o bebê chorando só no quarto – isso é abandono.
2* Lembre-se, a rotina durante o dia ajuda num sono reparador a noite e a soneca deve preceder o sono noturno cerca de três horas antes.
Não adianta, ele não larga a mamadeira
Se seu bebê está acostumado a mamar durante a noite, vá aos poucos diluindo o leite para o organismo se desadaptar desse nutriente. O ideal seria remover o leite de vez, mas a criança poderá se ressentir muito. Lembrar que a mamadeira noturna após os seis meses pode predispor as cáries.
* Outra saída seria oferecer água em um copinho com válvula de segurança para “matar a sede”.
Principais erros cometidos pelos pais na hora do adormecer das crianças
Não colocar a criança para dormir no mesmo horário regularmente: isso pode deixar o pequenino estressado ou hiperestimulado.
      * Usar acessórios para fazer o bebê dormir: balanceio todas as noites ou de madrugada, passeios de carro para induzir ao sono, sacolejar, etc. Quando a criança percebe que o estímulo cessou ela desperta e requer o movimento e a presença do adulto.
      * Colocar o pequerrucho para dormir na cama do casal e depois levá-lo para a caminha (ou berço). Isso pode ser conveniente para os pais cansados de noites mal dormidas. Entretanto, quando a criança percebe que não desfruta mais da companhia dos pais, ela acaba chorando e a maratona noturna recomeça.
Quem precisa de rotina?

  * As crianças gostam de um ambiente harmônico e previsível. A rotina facilita a vida da criança e de seus pais, pois todos sabem como as coisas em casa funcionam. Ao chegar a hora da soneca ou de dormir, crie um ritual para o pequeno compreender que a hora do soninho está chegando. É lúdico e ao mesmo tempo prático. Lembre-se, as atividades efetuadas com as crianças requerem continuidade e perseverança, mesmo quando elas ficarem maiorzinhas.
  *  Na hora da soneca e do sono noturno evite a superestimulação.
  * A criança precisa ter seu cantinho para repousar, assim como seus pais - deixe isso bem claro para ela. As vezes, temos que sinalizar o processo: pegar o pequeno no colo ou pela mãozinha e levá-lo até sua cama ou berço. Pode ser cansativo no começo, mas depois os baixinhos se acostumam.
* * Existem famílias que optam pela cama compartilhada. Se isso for um bom acordo para o casal, então tudo bem. O que não pode acontecer é o pequerrucho cada dia ser colocado e cobrado para dormir de uma forma diferente. A criança fica confusa e insegura.
















Nenhum comentário:

Postar um comentário