Postagens Mais Acessadas

17.7.15

Com que brinquedo eu vou?!


    Os brinquedos e as brincadeiras fazem parte do mundo infantil desde o intraútero. O bebezinho, na cavidade uterina, brinca com seu cordão umbilical, adora dar rodopios, fazer movimentos graciosos, e aprecia interagir com sua mãe, quando se estica e se enrola dentro da barriga. Brincar é inerente à infância e diz muito sobre a saúde mental das crianças.
    Criança que brinca, tem seu mundo interno povoado de magia, fantasia, criatividade e desenvolve, com maior facilidade, a inteligência emocional. Portanto, para os pequenos, brincar é trabalho, e, dos mais importantes!
    Para cada fase existe um brinquedo mais adequado, pois, um brinquedo, que não respeita a fase de desenvolvimento mental e físico da criança, pode gerar frustração, sensação de derrota, insegurança e até mesmo riscos. Pecinhas pequenas não são adequadas para pequeninos com idade inferior a três anos. Temos também o órgão regulador, e hoje, todos os brinquedos devem possuir o selo do Inmetro, que assegura a adequação do brinquedo (material, segurança e faixa etária indicada).
    Para crianças até um ano, o ideal são os brinquedos macios e que estimulam os cinco sentidos. A presença de um adulto brincante é fundamental. Para tanto, os móbiles, bonecas, carrinhos e formas geométricas de tecido, são muito bem vindos pelos bebês. Os livrinhos de banho ajudam a introduzir os pequenos no mundo da literatura infantil.
    As crianças de um a três anos são cientistas em potencial. Imitam os adultos, adoram música e não descriminam, se um brinquedo é de menina ou de menino. O que importa é a brincadeira. Meninos brincam de panelinha, meninas jogam bola e empurram carrinhos. Blocos de montar distraem e aguçam a criatividade. Encaixar peças e folhear livros com figuras grandes e coloridas atraem os pequenos por um bom tempo.
    Meninos e meninas de três a cinco anos gostam de papel para colorir a lápis de cera ou com tinta de dedo. Fazem a festa com brincadeiras que estimulam a imaginação e o faz de conta, tais como, fantasias, dedoches, fantoches, massinhas, quebra-cabeça e blocos de montar interativos.
    Crianças de cinco a sete anos são muito espertas, ágeis e apreciam a interação com os coleguinhas. Brincar junto é uma festa. Os jogos de tabuleiro podem ser uma boa indicação, livrinhos com pouco texto são muito atrativos, pula-pula, amarelinha, teatro e cinema são bem vindos, quando na presença de um adulto que ajude a mediar a história.
    O que dizer dos pequenos de sete a dez anos? É a fase dos desafios, da prática do raciocínio lógico e a aplicação de estratégias para a resolução de problemas dentro das brincadeiras. Gastar a energia em parques, praças e clubes é uma aventura. Bicicleta, patins, patinete e skate ajudam a desafiar o equilíbrio, a concentração e a mobilidade. Empinar pipa junto com os amigos é uma diversão e tanto.
    Não importa o brinquedo, se ele é manufaturado ou feito de sucata, o que realmente importa é a magia e a vida que as crianças dão aos brinquedos. A brincadeira pode ficar melhor ainda se os pais se dispuserem a dedicar um tempo de qualidade para se entrelaçarem com seus filhos.
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário