Postagens Mais Acessadas

30.9.16

Essas crianças destroem tudo que veem pela frente


Não é raro ouvirmos dos pais, que eles cansam de comprar brinquedos para as crianças, e, no final, elas quebram ou destroem tudo. Fico pensando sobre que idade essas crianças estão e que tipo de brinquedos esses pais compram. Uma criança na fase préescolar ainda não é muito cuidadosa e muito menos entende o valor de um brinquedo caro, o suor que os pais tiveram que “gastar” para adquiri-lo.
As crianças na faixa dos 2 a 6 anos são desbravadoras, querem entender como as coisas funcionam, o que existe dentro do brinquedo e como elas se articulam. Elas são muito curiosas, e, porque não dizer, meio pesquisadoras!
Isso não quer dizer que não podemos, enquanto pais, ensinar e orientar os filhos a cuidarem de seus brinquedos. Não é só em relação ao comportamento que precisamos ser claros com os pequenos. O cuidado e o armazenamento dos brinquedos podem seguir a mesma regra. Podemos salientar os brinquedos que podem ser pintados, rasgados, ou, até mesmo desmontados, tendo em mente, que o brinquedo foi feito para brincar e não para ficar na prateleira, do contrário, não é um brinquedo e sim um enfeite, ou, um troféu.
As crianças pequenas também se sentem motivadas a cuidar de seus brinquedos e a dar vida a eles, principalmente quando elas sentem que existe um espaço para expressarem sua criatividade sem medo de se sujar ou de estragar alguma coisa. Elas adoram pintar, usar tinta de dedo sobre uma cartolina branca, desenhar no chão com giz, ou, “pintar e bordar” em rolo de papel.
Se o brinquedo foi feito para brincar, temos que oferecer brinquedos seguros e resistentes para as crianças pequenas. Brinquedos que elas possam manipular, montar, desmontar, levar para o banho, para a consulta médica, para a casa dos avós e exercer toda a criatividade e espontaneidade.
Do que adianta dar um brinquedo caro e da moda para os pequenos, se no fundo vamos estar em estado de alerta, para que ele não sofra avarias ou se torne sujo? Crianças na fase préescolar não precisam de brinquedos sofisticados e caros. Elas precisam de espaço para brincar, coleguinhas, ar livre, natureza, adulto cuidador e protetor, que supervisione, sem atrapalhar a brincadeira, e, brinquedos, que exercitem o corpo, a mente e a interação social.
As crianças não nascem sabendo o preço das coisas ou como devem fazer para manterem em boas condições seus brinquedos. Elas aprendem observando os adultos e recebendo orientações deles. Assim, desde pequeno, ensine seu filho a guardar os brinquedos no lugar certo, como conservá-los, e, no momento certo, fazer uma doação dos brinquedos antigos, para uma instituição ou para outras crianças. Trocar brinquedos com outras crianças também pode ser uma boa opção para pais e filhos. Afinal, a criança terá sempre algo novo para se divertir e explorar.
Mostre para seu filho o brinquedo que pode ser desmontado, o livro que pode ser pintado ou rasgado, e, o brinquedo que pode sofrer arremesso ou queda. Como falei as crianças não sabem muita coisa ainda.
Quando “acidentes” acontecerem (um brinquedo quebrar por mau uso) converse com seu filho e novamente ensine-o a cuidar de seus brinquedos. Explique que se ele não cuidar bem de seus pertences ele não terá com o que brincar em outro momento. Seja firme, porém não exagere na reação (raiva, desgosto, desapontamento), ou, no uso de medidas intempestivas. Devagar e com constância, seu filho vai entender o que pode e o que não pode fazer.

O mais importante é a mensagem que você está passando ao seu filho, ou seja, brincar com cuidado e responsabilidade vale a pena, pois, o brinquedo vai estar por ali, esperando a próxima brincadeira!

Nenhum comentário:

Postar um comentário